Polícia tenta desvendar mistério da morte de estudante da UnB

Corpo de Lucas da Silva Resende do Monte foi encontrado nos fundos da casa de um amigo em Sobradinho com perfurações no peito. Havia pessoas na residência, mas elas disseram que pensaram que o jovem havia ido embora

0
743

O estudante de educação física da Universidade de Brasília (UnB) Lucas da Silva Resende do Monte, 20 anos, que estava desaparecido desde sábado passado, foi encontrado morto, na manhã de ontem, na casa de um amigo, no condomínio Alto da Boa Vista, em Sobradinho 1. A polícia trabalha com todas as linhas de investigação.

Inicialmente, a perícia constatou perfurações no peito do rapaz. Havia uma faca com marcas de sangue próxima a ele e ainda não se sabe se foi a usada no crime. O corpo estava nos fundos do terreno, próximo a uma área onde há vegetação. Quando a polícia chegou, havia pessoas na casa, que, de acordo com os investigadores, disseram que não sabiam que o corpo estava lá.

“Toda a casa passou por testes com luminol, no intuito de localizar algum vestígio de sangue, ainda que o local tivesse sido lavado. Nada foi encontrado. Ou seja: indicativo de que Lucas tenha sido golpeado no mesmo local em que foi encontrado, no fundo do lote”, afirmou o delegado Hudson Maldonado, da 13ª Delegacia de Polícia (Sobradinho 1).

Na sexta-feira (9/2), Lucas e mais três jovens foram a um bloco de carnaval, no Setor Comercial Sul. Às 2h de sábado (10/2), o grupo chegou no condomínio, em Sobradinho 1, e foi recebido pelos proprietários do imóvel e pais de um dos jovens.

Rodrigo Monte, 42, pai de Lucas registrou o desaparecimento na 9ª DP (Lago Norte) no sábado (10/2) à noite. O filho havia dito a ele que pernoitaria na casa desse amigo, em Sobradinho.

“Fizemos rastreamento do aparelho celular e constatamos que ele havia entrado numa residência no condomínio, mas não havia saído. Fomos ao local na tarde de segunda-feira e ninguém soube prestar muitas informações. Mas retornamos hoje (ontem) e entramos na residência, quando então o corpo foi encontrado nos fundos do lote”, explicou o delegado-chefe da 13ª Delegacia de Polícia.

Havia jovens na casa, que afirmaram aos policiais que estavam consumindo maconha e LSD. Todos foram levados à delegacia e contaram que acreditavam que Lucas havia pulado o muro e ido embora.

O veículo de Lucas foi encontrado na porta da casa, mas ele não foi localizado. “Havia câmeras no condomínio, mas nenhuma captou o Lucas saindo. Ele, de fato, não saiu (da casa). Entrou na casa e lá morreu”, disse o delegado.

O aparelho celular e itens pessoais dele foram entregues à polícia ainda na tarde de segunda-feira (12/2) e serão alvos de perícia da Polícia Civil (PCDF) para desvendar o que pode ter acontecido. Avaliação preliminar aponta que a morte pode ter ocorrido no sábado, entre meio-dia e 22h. Por ora, todas as possibilidades são investigadas. 

Tristeza

O Correio conversou com o pai de Lucas. Ele contou à reportagem que soube da morte do filho pela televisão. Foi ele quem pediu à polícia que procurasse o jovem na casa desse amigo. “Eu não conhecia esse colega dele. Acho que era a primeira vez que ele ia na casa desse rapaz. Nunca tinha me falado sobre ele”, disse Rodrigo.

“Lucas nunca teve nenhum desafeto. Muito pelo contrário. Ele era adorado por todos. Antes de qualquer apuração sobre a morte do meu filho, fica a impressão de que ele tenha sido agredido por ter se interessado por um dos rapazes. É muito estranho eles (presentes na casa) dizerem que estavam procurando meu filho e ele estar no terreno atrás da casa. Um dos rapazes disse que ele se declarou para outro garoto lá e que aí ele (Lucas) teria sumido”, lamentou.

Rodrigo pediu apuração por parte da polícia para desvendar o que aconteceu dentro da casa. “Sabia que ele fazia uso de maconha. Mas fiquei sabendo que houve consumo do que chamam de ‘papel’. Parece que isso mexe com a sensibilidade das pessoas. Às vezes, numa situação em que as pessoas lidariam tranquilamente, elas acabam meio exaltadas por causa dessa droga”, afirmou o pai da vítima.

Questionando se o crime poderia ter sido motivado por homofobia, o delegado respondeu: “Nenhum depoimento confirma isso. Ele teria investido num adolescente de 17 anos que, educadamente, recusou, segundo os relatos de todos na casa. Realmente, o Lucas sumiu após a investida, mas o adolescente teria permanecido na sala, vendo o filme, segundo as testemunhas. Mas seguimos investigando. Se o caso virar para esse lado, ou qualquer outra motivação, vamos apontar, doa a quem doer”, completou Maldonado.

“É com profundo pesar que a Universidade de Brasília (UnB) recebeu a notícia do falecimento do estudante da Faculdade de Educação Física (FEF) Lucas da Silva Resende do Monte. O corpo do estudante foi encontrado na região administrativa de Sobradinho”, disse a instituição, em nota.

“Neste momento de consternação, expressamos nossas condolências à família, aos amigos e à toda comunidade da FEF. Compreendemos a dor que essa perda irreparável causa a todos que o conheciam, e nos solidarizamos neste momento de luto”, concluiu a universidade.

Por Arthur de Souza, Darcianne Diogo, Pablo Giovanni do Correio Braziliense

Foto: Reprodução/Redes sociais / Reprodução Correio Braziliense