Iniciada etapa de escavação no Viaduto do Riacho Fundo

Obras contam com investimento de R$ 22,3 milhões e vão ampliar a mobilidade dos cerca de 100 mil motoristas que utilizam uma das principais ligações entre regiões populosas do DF com o Plano Piloto

0
64

O Viaduto do Riacho Fundo vai tomando forma com o trabalho das equipes do Governo do Distrito Federal (GDF). Após o fim dos desvios e a reabertura do retorno na Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB), as equipes técnicas deram início à etapa de escavação. Os serviços devem durar de dois a três dias, a depender das condições climáticas, com previsão de atingir cerca de cinco metros de profundidade. Para a construção da obra viária, o governo investe R$ 22,3 milhões.

Primeiro, os trabalhos se concentram na alça sentido Samambaia. Quando forem finalizados, a escavação será iniciada na alça sentido Plano Piloto. De acordo com a fiscal da obra, a engenheira Sandra Martins, serão retirados cerca de 2 mil metros cúbicos de terra, o equivalente a duas piscinas olímpicas.

“A terra retirada até 1,5 metro de escavação a gente vai estocar aqui mesmo para usar na própria obra. O restante será direcionado para os distritos, para, então, ser encaminhado para outros fins, como obras emergenciais”, afirmou a engenheira.

A próxima fase é a de grampear o solo, uma técnica responsável por conter os taludes e garantir a estabilidade da terra no local. Após concluída, a etapa seguinte é a de terraplanagem. Para garantir que os serviços sejam realizados da maneira mais rápida possível, são cerca de 30 homens trabalhando de segunda a sábado.

No outro viaduto, os trabalhos consistem na instalação da armação que dá a estrutura da obra viária e nos serviços de drenagem de águas pluviais. Por lá, as escavações devem começar dentro das próximas semanas. A previsão é que, para as intervenções, não sejam realizadas alterações no trânsito.

A conclusão do viaduto vai ampliar a mobilidade de mais de 100 mil motoristas que circulam diariamente na EPNB, uma das principais vias de ligação entre regiões populosas do DF, como Samambaia e Recanto das Emas, ao Plano Piloto.

O autônomo Marcelo de Sousa, 37 anos, reparou nas mudanças realizadas no trânsito e na fluidez no tráfego de veículos com o fim dos desvios. Ele revelou estar empolgado com a construção da obra viária. “O viaduto vai melhorar muito a situação de quem passa por aqui todos os dias. Antes, era um congestionamento enorme. Eu moro aqui perto e, no começo, a gente vê que é um transtorno, mas vai ajudar bastante. Espero que melhore o trânsito para nós”, compartilhou.

Por Thaís Miranda da Agência Brasília 

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília