Influenciador que usava da “boa fé” para aplicar golpe em seguidores é preso pela PCDF

O influencer, que possui 48,2 mil inscritos em seu canal, pertence à organização criminosa liderada pelo Pastor Osório segundo investigações

0
137

O digital influencer Paulo Salomão foi preso em flagrante pela Polícia Civil do Distrito Federal(PCDF), na tarde da última quinta-feira (08/12), pelos pelos crimes de uso de documento falso e falsificação de documentos. Salomão foi preso no momento em que apresentava um falso extrato no valor de aproximadamente R$17 bilhões de reais em uma Agência Bancária. A operação foi batizada de Falso Profeta.

Após a prisão em flagrante a 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), responsável pelo caso, recebeu diversas notícias-crime sobre o esquema criminoso. Segundo a PCDF, os investigados abusam da fé alheia e valem-se de apelos religiosos e das redes sociais como isca, para investir seu dinheiro com eles, prometendo retornos financeiros fabulosos.

De acordo com as investigações, o influencer, que possui cerca de 5814 seguidores no Instagram, pertence à organização criminosa liderada pelo Pastor Osório. O pastor em questão foi indiciado por diversos crimes de estelionato, lavagem de dinheiro, entre outros, ao redor do Brasil e do mundo.

Em seu canal no YouTube, Salomão possui cerca de 48,2 mil inscritos. E é através da plataforma que, conforme investigado, o influencer atrai suas vítimas. Dois a três vídeos em seu canal são disparados diariamente para atrair novos seguidores e manter as vítimas induzidas em erro acreditando que o retorno financeiro do suposto investimento está próximo de ser liberado. “Mas esse dia nunca chega, gerando sofrimento, angústia, depressão e rompimento familiares, além do prejuízo de milhares de reais”, afirma o delegado Maurício Iacozzilli.

Salomão informa ainda através de seus vídeos que possui informações privilegiadas dentro do mercado financeiro nacional e internacional, e que o retorno dos “aportes” será em determinada data. Porém no prazo estabelecido, o retorno não acontece. Os investigados alegam bloqueios judiciais ou até mesmo novos sistemas quânticos bancários que estão sendo disponibilizados para o resgate dos valores bilionários, como desculpa para as vítimas.

Em suas redes Salomão também oferece à venda um milagroso chá, chamado “Chá do Milagre”, que irá curar todos esses problemas das vítimas. Segundo informações nas redes sociais, 12 mil unidades do chá já teriam sido vendidas. Além do seu canal no YouTube, ele ainda estaria usando a rede social Telegram como instrumento da prática dos crimes.

Na tarde desta sexta-feira (09), a filha do influencer e sócia, Hanna Salomão, publicou um vídeo no canal onde apresenta um recado do pai em que ele tranquiliza os seguidores e diz que está tudo bem. No vídeo ela também fala que em breve, Salomão estará de volta e explicará tudo.

Por Tereza Neuberger do Jornal de Brasília

Foto: Reprodução Jornal de Brasília