Emas do Recanto voltam a decorar a cidade 

Esculturas foram instaladas no balão do novo viaduto da região administrativa e passarão por manutenção e pintura completa

0
215

As emas do Recanto estão de volta. Consideradas o cartão-postal da cidade que tem o nome da ave típica do cerrado, as esculturas foram reinstaladas no balão da entrada principal e passarão por manutenção e pintura. Os objetos haviam sido retirados devido à construção do viaduto no local. 

“Levamos as emas para a administração, onde ficaram dois anos, ainda perto das pessoas”, relata o administrador do Recanto das Emas, Carlos Dalvan. “Agora que a obra está na fase final, trouxemos as emas de volta de forma segura, para evitar qualquer acidente, ainda mais porque o artista criador das estruturas está passando por um problema de saúde e não pode fazer a manutenção.” 

A primeira ema surgiu em 1992 e, durante o transporte entre o local de produção e o destino final, acabou perdendo as pernas. Por isso, foi criado um ninho ao redor da escultura, que tem 2 metros de altura e pesa 2 toneladas. Já a segunda ema foi instalada em 1993, com 4 metros de altura e 650 quilos, e posicionada em pé. Atualmente, as duas se encontram “sentadas” e, tão logo seja possível, receberão novas pernas.

Pintura original

O autor da obra original é o artista Carlos Alberto Mendes, mais conhecido como Roberto da Ema, mas, como ele está em tratamento, quem assumiu a manutenção e a pintura das emas do trabalho foi o restaurador Alexandre Silva, que também é artista plástico. 

Ele explica que o serviço inclui a retirada das camadas de material que estão descascando, para que depois sejam aplicadas tintas específicas para esculturas. “A maior preocupação é manter a originalidade da pintura, para preservar a criação do artista”, explica Alexandre, que convida a população a visitar o local: “Você, morador do Recanto das Emas, venha vê-las e prestigiar esse monumento artístico e cultural, planejado especialmente para a cidade”. 

Morador do Recanto das Emas desde o início dos anos 2000, o assistente social José Ivo Alves, 53, sentiu a falta das esculturas da entrada da cidade durante o tempo em que as peças foram retiradas para as obras do viaduto. Agora, tem motivo duplo para comemorar: “Fico alegre de vê-las de volta, mas também pela construção do viaduto, porque demorava até meia hora para passar por aqui, e agora é rapidinho, questão de minutos”. 

Chefe de pista de um posto de combustíveis nas proximidades, Alex Matias, 32, também manifesta simpatia pelo retorno dos personagens que dão nome à cidade: “Todo lugar tem uma identidade, uma coisa que as pessoas reconhecem. E no caso do Recanto, são as emas, avistadas de longe pelas pessoas”.

Intervenção viária 

Com investimento de R$ 30,9 milhões, o viaduto do Recanto das Emas, na Estrada Parque Contorno (DF-001), já se encontra quase pronto. Atualmente, o trânsito nas passagens inferior e superior está liberado, enquanto são feitos os ajustes finais da obra, como paisagismo, instalação de sinalização de trânsito e de iluminação, entre outros serviços.

O viaduto vai beneficiar, diariamente, mais de 80 mil motoristas que circulam pelas imediações. “Hoje, quem está vindo do Gama e quer ir para Brasília passa por baixo do viaduto, sem encontrar quem está saindo do Recanto das Emas ou do Riacho Fundo, já que estes motoristas passam por cima”, pontua o superintendente de Obras do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Cristiano Cavalcante. “Criamos a passagem em dois níveis para acabar com o entroncamento que existia no local, gerando mais fluidez e segurança no trânsito”.

Por Agência Brasília

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília