Vacina bivalente para maiores de 60 anos movimenta unidades de saúde no DF

Nova etapa de imunização contra covid-19 ampliou público-alvo. Confira os endereços dos 90 locais onde há aplicação da Pfizer bivalente

0
100

A segunda-feira (06/03) registrou movimento em unidades básicas de saúde (UBS) do Distrito Federal. No primeiro dia da vacinação bivalente contra a covid-19 para as pessoas a partir dos 60 anos, o atendimento começou às 8h.

Foi o caso da UBS 2 da Asa Norte. Foi para lá que o aposentado Paulo Henrique Santana, 75 anos, decidiu levar a esposa Maria José Rabelo, 68 anos. “Eu vacinei na semana passada e agora chegou a vez dela. Ela sempre fica com medo de ter alguma reação, mas toma mesmo assim”, conta.

Além de estar disponível para idosos com mais de 60 anos, a campanha de vacinação também segue para os imunocomprometidos com pelo menos 12 anos, moradores de comunidades indígenas, ribeirinhos e quilombolas – que foi o primeiro público atendido.

Aos 100 anos, Izabel Hamuche incentiva outras pessoas a se protegerem. “Dói só um pouquinho, mas eu não deixo de vir”, diz. O filho, o psicólogo Ivan Guilherme Hamuche, ressalta que tem o cuidado de manter a cartela de vacinação da mãe em dia. “Ela já teve covid-19 e ficou um mês internada, então a gente se preocupa. Eu sempre a trago para tomar a vacina”, afirma.

O casal Ângela Loures e João Felício Loures também já passou dos 70 anos de idade – são 57 só de casamento! – e compareceu hoje para atualizar a cobertura contra a covid-19. “Nós tomamos todas as doses e vamos continuar tomando as que surgirem”, diz Ângela. “Nós queremos melhorar cada vez mais. Espero que as pessoas venham, pois o percentual de assiduidade está baixo”, acrescenta João Felício.

Para se imunizar, é necessário levar documento de identificação e, se possível, o cartão de vacina com registro das doses já recebidas. As pessoas imunocomprometidas também precisam levar laudo ou relatório médico comprobatório de sua situação. A lista completa dos locais de vacinação está disponível no site da Secretaria de Saúde.

A Pfizer bivalente é aplicada a partir de quatro meses da segunda dose ou da última dose de reforço. Quem não tiver recebido a primeira ou a segunda dose terá que iniciar o esquema vacinal com a monovalente, também disponível em unidades da Secretaria de Saúde (SES). A vacina bivalente oferece proteção contra a variante original do vírus causador da covid-19 e contra as cepas que surgiram depois, como a ômicron.

Na primeira semana, quando a faixa etária era de 70 anos ou mais, foram 28.907 doses aplicadas em cinco dias, uma média superior a 5.780 aplicações por dia.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Por Agência Brasília

Foto: Reprodução Agência Brasília