Escola do DF aborda cultura de paz por meio de peças teatrais

Companhia de Teatro Elefante Branco apresenta espetáculos para estudantes da rede pública, com mensagens contra a violência

0
141

Para prevenir e combater as variadas formas de violência dentro e fora do ambiente escolar, a Cia de Teatro Elefante Branco, formada por alunos do Centro de Ensino Médio Elefante Branco (Cemeb), exibirá peças teatrais pedagógicas para estudantes da rede pública de ensino. As apresentações acontecem nesta sexta-feira (28) e no dia 8 de maio, no Cemeb, que fica na 908 Sul. Os espetáculos são abertos para alunos da rede pública mediante agendamento prévio. Para assistir, basta enviar e-mail para ciaelefantebranco@gmail.com.

“Os estudantes participantes – criadores e espectadores – partilham de experiências cênicas que visam à promoção do bem-estar social e à sensação de pertencimento, por meio da cultura de paz”, explica o professor de arte Marcello Lucas de Araújo Brito, coordenador do Cemeb e diretor da Cia de Teatro Elefante Branco.

O grupo

A companhia de teatro foi criada em 2018, como atividade extracurricular. Desde então, Marcello construiu um roteiro com várias peças que já foram finalistas e ganharam destaque, durante dois anos consecutivos, no prêmio Arte na Escola Cidadã.

Em outubro do ano passado, a companhia venceu a terceira edição do Concurso de Seleção de Práticas Inovadoras do Programa Maria da Penha Vai à Escola, do Tribunal de Justiça do DF (TJDFT). Para alertar colegas e a comunidade sobre a violência contra mulher, os estudantes transformam cenas cotidianas desse tipo de agressão em peças de teatro.

Durante os espetáculos, o público participa e pode recriar as cenas de violência. Os atores “congelam” a cena, e a plateia tem acesso para interferir e mudar toda a história. A prática é utilizada em todas as peças encenadas pelos alunos da companhia teatral do Cemeb.

Programação

→ Sexta (28), às 15h: Buraquinhos
De autoria do dramaturgo brasileiro Jhonny Salaberg, a peça é considerada uma das mais eficientes campanhas teatrais contra o racismo estrutural e o genocídio negro. Pensando no ambiente escolar como um espaço solidário para a troca de experiências, o espetáculo aborda temáticas importantes para a luta antirracista no contexto dos ensinos fundamental e médio.

→ 8 de maio, às 10h e às 14h: Nem todo homem, mas sempre um homem
O espetáculo tem como foco a violência de gênero, promovendo o debate sobre a valorização e proteção da vida da mulher por meio da apresentação de cenas com situações de violência doméstica, abuso e aliciamento de menores, entre outras situações.

*Com informações da Secretaria de Educação

Por Agência Brasília

Foto: Álvaro Henrique/SEE / Reprodução Agência Brasília