DF criou 44 mil postos de trabalho em abril

Pesquisa de Emprego e Desemprego indica que, de um mês para o outro, o nível ocupacional na capital dobrou

0
98

O emprego no Distrito Federal apresentou resultados positivos no mês de abril, conforme aponta a Pesquisa de Emprego e Desemprego (Ped) apresentada nesta terça-feira pelo Instituto de Pesquisa e Estatística do DF (IPEDF) e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

“O fato de a criação dos postos ter ocorrido no setor de serviços nos deixa mais otimistas, por ser este o setor que responde mais rapidamente às mudanças econômicas de mercado”Dea Fioravante, diretora de Estatística e Pesquisas Socioeconômicas

Os números mostram que o nível ocupacional do mercado de trabalho da capital cresceu de uma forma expressiva ao contabilizar 44 mil postos de trabalho no quarto mês de 2023. No período,  17 mil postos foram para a Periferia Metropolitana de Brasília (PMB). Quando comparado a março, esse contingente mais que dobrou ao sair de 19 mil postos de trabalho criados.

A justificativa para esse comportamento foi que, mesmo com a retração no comércio e reparação e na construção, houve uma compensação com o aumento no número de ocupados no setor de serviços.

“O fato de a criação dos postos ter ocorrido no setor de serviços nos deixa mais otimistas, por ser este o setor que responde mais rapidamente às mudanças econômicas de mercado”, afirmou a diretora de Estatística e Pesquisas Socioeconômicas, Dea Fioravante.

A taxa de desemprego total da População Economicamente Ativa (PEA), em relação ao mês anterior, permaneceu estável, ao passar de 16,7% para 16,8%. Já a taxa de participação (pessoas com 14 anos ou mais incorporadas ao mercado) cresceu 1,3 ponto percentual, passando de 63% para 64,3%.

Periferia Metropolitana de Brasília (PMB)

A Periferia Metropolitana de Brasília também indicou resultado positivo em abril. Quando comparada a março, a taxa de desemprego total da PMB caiu 1,8 ponto percentual (22,4% para 20,6%). Por outro lado, a taxa de participação (pessoas de 14 anos ou mais) declinou, saindo de 69,8% para 69%.

O diretor-presidente do IPEDF, Manoel Barros, destacou que “os sinais positivos encontrados na pesquisa indicam a recuperação do nível de ocupação no mercado de trabalho, e esse cenário de aquecimento do emprego serve como estimulo no retorno da população inativa ao mercado”.

Acesse os boletins
– PED-DF
– PED-PMB

Assista aqui a apresentação da PED

*Com informações do IPEDF Codeplan

Por Agência Brasília

Foto: Reprodução CLDF