Primeira pista profissional de skate park do DF é inaugurada na Octogonal

Com investimento de cerca de R$ 900 mil, o parque esportivo será palco de competições de alto nível; mais de duas mil pessoas são beneficiadas

0
237

O Distrito Federal está pronto para receber competições nacionais e internacionais de skate park. A primeira pista profissional da modalidade foi entregue neste sábado (12) pelo governador Ibaneis Rocha, que declarou: “É uma pista profissional que vai ajudar atletas a competirem e se prepararem. Queremos cada vez mais incentivar o esporte”.

Localizada na Área Especial 3/8 da Octogonal, a construção ocupou o lugar de uma antiga pista da região e foi executada pela Companhia Imobiliária de Brasília (Novacap). Com investimento de cerca de R$ 900 mil, o projeto atende todas as exigências da federação do esporte, colocando Brasília no circuito de provas importantes.

“Depois das Olimpíadas, em que o skate virou um esporte olímpico, as praças de skate passaram por uma reformulação, e esse projeto da Octogonal é o primeiro do DF dentro desse padrão, um projeto novo que atende a todas as competições oficiais”, ressaltou o presidente da Novacap, Fernando Leite. 

1.648 m²área total da nova pista

Foram necessários dez meses de obra para reconstruir por completo o antigo ponto de encontro de skatistas na Octogonal, popularmente conhecido como Sukata. Antes com 1,2 mil m², o novo espaço passa a ter extensão total de 1.648 m², com duas pistas que somam 1.498 m². A menor, com 198 m² e 90 cm de profundidade, poderá ser usada por crianças e iniciantes no esporte. A maior terá 584 m², com profundidade que varia de 1,30 a 2,5 m.

Piso diferenciado

“É uma obra diferenciada, completamente artesanal, e os skatistas da região participaram de forma ativa, dando sugestões e acompanhando tudo de perto”Juan Carlos Del Carpio, arquiteto da Novacap

‌O modelo escolhido para a construção é o mais indicado para a prática do skate park, modalidade que pede uma pista oca com várias curvas sinuosas, algumas delas lembrando pratos e tigelas (chamadas de bowls). Essa espécie de “piscinão” também traz outros elementos, como obstáculos e rampas. O calçamento que cerca toda a estrutura também é apropriado para as manobras de skate park. Tudo foi feito em concreto polido.

“Várias etapas da construção precisaram ser feitas manualmente – a aplicação do concreto, o polimento, o cuidado para fazer a curvatura com raio correto”, explicou o arquiteto da Novacap Juan Carlos Del Carpio. “É uma obra diferenciada, completamente artesanal, e os skatistas da região participaram de forma ativa, dando sugestões e acompanhando tudo de perto.”

‌Autor do projeto, o arquiteto e skatista Márcio Comas conta que se baseou em diversas pistas espalhadas pelo mundo como referência para o trabalho. “Foi uma responsabilidade enorme criar uma estrutura para substituir a Sukata, a mais antiga pista de skate do Plano Piloto”, observa. “Essa nova pista representa um marco para o esporte no DF. É um local que não só vai receber competições, como também servirá para preparar os atletas”.

“O skate está em alta no nosso país, e Brasília precisava de uma pista de skate profissional que pudesse dar condições para os nossos atletas treinarem e representarem a nossa capital”Julio Cesar Ribeiro, secretário de Esporte e Lazer

O parque esportivo vai beneficiar cerca de 2 mil pessoas.‌ O administrador do Sudoeste/Octogonal, Reginaldo Sardinha, lembra que a nova pista não deverá ser frequentada apenas por moradores da região administrativa. “É uma obra para ser usada por atletas de todo o DF, uma construção de pujança olímpica”, afirmou. 

Esporte em alta

‌Para o secretário de Esporte e Lazer, Julio Cesar Ribeiro, a inauguração impulsiona o surgimento de novos atletas e a vinda de campeonatos nacionais e internacionais para o DF. “O skate está em alta no nosso país, e Brasília precisava de uma pista de skate profissional que pudesse dar condições para os nossos atletas treinarem, praticarem essa atividade e representarem a nossa capital federal”, avaliou. 

Conhecido como Didi, o skatista Adriano Vieira, 25, reforça que o novo local será essencial na profissionalização dos esportistas: “Antes, não tínhamos uma pista de alto nível para treinar. Agora, temos uma pista ótima. A galera está gostando muito, e esperamos que venham mais pistas assim para Brasília”. 

O estudante Renato Pereira, 15, já avisou a família que, sempre que tiver um tempo livre, estará treinando na pista nova. “Treino há dois anos e oito meses”, contou. “Pretendo virar skatista profissional, seguir carreira e competir fora do Brasil, e essa pista me ajudará muito nisso”. 

Quem anda de skate há mais de quatro décadas também vê a construção como um avanço na modalidade. É o caso do skatista Helvécio Mafra, 62. “Quando comecei, Brasília não tinha nenhuma pista; a gente andava nas ruas mesmo”, relembrou. “Uma pista como essa é um sonho de consumo para qualquer um que pratique o esporte. Acompanhei a obra com muita ansiedade, doido para usar a pista”.

Por Agência Brasília

Foto: Renato Alves/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília