Chuvas: DF abre canais diretos de emergência e serviços

Ao notar sinais de risco à segurança, os moradores devem acionar o Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF), pelo telefone 193

0
586

Ainda que tardio, novembro marca um intenso período de chuvas no Distrito Federal. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o volume de chuva previsto para o mês é de 253,1 mm, quase o dobro do registrado em outubro, que foi de 141,5 mm.

Ao notar sinais de risco à segurança, os moradores devem acionar o Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF), pelo telefone 193. Se houver ameaça de desabamento de estruturas, chame também a Defesa Civil, pelo 199. O órgão envia alertas sobre fortes chuvas por SMS para a população. Para receber, basta enviar o CEP da residência para o número 40199.

Já no caso de árvores que representem risco em áreas públicas, a poda dos galhos ou até a remoção da planta podem ser solicitadas ao Departamento de Parques e Jardins, da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), pelo telefone 3403-2626, ou às administrações regionais. Veja o contato e o endereço de cada uma neste site.

As administrações regionais também recebem demandas da população em relação à infraestrutura das cidades, como no caso de queda de galhos, entupimento de bueiros e bocas de lobo, e mais. As solicitações também podem ser feitas pela Ouvidoria-Geral do Distrito Federal, no site ou, ainda, pelo telefone 162.

Se houver problemas com a rede elétrica, a Companhia Energética de Brasília (CEB) pode ser chamada pelo número 155 e a concessionária Neoenergia Brasília pelos telefones 3465-9318, que também é WhastApp, ou 0800-701-0102, opção 116.

‌Atuação contínua

Faça chuva, faça sol, as equipes do Governo do Distrito Federal (GDF) estão nas ruas para atender as demandas da população. Durante o período de estiagem, são executadas ações preventivas, como desobstrução e limpeza de bueiros e bocas de lobo, podas de árvores, retirada de lixo verde e entulho de áreas públicas, entre outras. Os serviços são intensificados no período chuvoso, quando as equipes estão de prontidão para minimizar os estragos causados pelas tempestades.

Em outubro, foi publicada a Portaria nº 89/2023, com o objetivo de dar celeridade nas respostas em caso de fortes chuvas e outras ocorrências. Para isso, o DF foi dividido em 15 grupos multidisciplinares e foram designados responsáveis pela organização e envio de equipes para os locais afetados. O texto garante a mobilização de profissionais, veículos, equipamentos, maquinários e insumos necessários para o atendimento das ocorrências a qualquer hora do dia, sete dias por semana.

“Neste ano, temos mais de 200 profissionais participando dos grupos, sendo representantes de diversos órgãos, como Novacap, SLU [Serviço de Limpeza Urbana], assim como das administrações regionais e dos polos do programa GDF Presente. No período de chuvas, o trabalho é ininterrupto”, explica o secretário executivo das Cidades da Secretaria de Governo (Segov), Cláudio Trinchão. “Seja de manhã, de madrugada, durante a semana ou em feriados, as equipes estão sempre de plantão para atender a população. As ações têm dado retorno e temos conseguido solucionar as consequências das chuvas de

forma mais efetiva e célere em comparação aos anos anteriores”, destaca.

Como se prevenir

Inundações, panes elétricas e destelhamentos são alguns dos acidentes que podem ser causados pelas fortes chuvas. A pedido da Agência Brasília, o Corpo de Bombeiros Militar, a Defesa Civil e o Departamento de Trânsito (Detran-DF) listaram as principais medidas que devem ser tomadas para garantir a segurança da população, dentro e fora de casa.

Veja:

Em casa
→ Nos casos de destelhamento devido aos ventos fortes, se proteja embaixo de uma mesa ou cama para evitar ser atingido por cacos e pedaços de telha;
→ Se a água da rua começar a entrar em casa, saia da residência e procure um abrigo seco;
→ Evite ficar próximo a canos, janelas e portas metálicas, sobretudo se a

chuva for acompanhada por raios;
→ Não use equipamentos ligados à tomada, devido ao risco de choque elétrico e curto-circuito. O cuidado também vale para celulares conectados ao carregador e a banhos em chuveiros elétricos;
→ Esteja atento à manutenção da residência: limpe as calhas com frequência e deixe os telhados bem fixados. Além disso, verifique os sinais de infiltrações para resolver as demandas o quanto antes.

No trânsito

→ Esteja atento às condições do veículo: freios e pneus devem estar calibrados e os faróis em pleno funcionamento;
→ Dirija com cautela e mantenha distância do veículo da frente para diminuir o risco de colisões. Em caso de chuva torrencial, procure um local seguro para estacionar, longe de árvores e alambrados metálicos, para aguardar o fim da tempestade;
→ Evite freadas e mudanças bruscas de faixa para que os pneus não percam o contato com o asfalto. O ideal é acionar o freio gradualmente e nunca dirigir em alta velocidade;
→ Mantenha os cuidados inerentes a direção de veículos, como uso de cinto de segurança, seta para indicar mudança de direção etc.
→ Motociclistas: Evitem chuvas fortes e procurem abrigos em paradas de ônibus e outros locais cobertos. É essencial andar bem equipado, com capacete com viseira adequada ou óculos de proteção, capa de chuva, jaqueta com proteções, além de luvas e botas.
→ Pedestres: Façam travessias seguras em faixas de pedestres ou semáforos.

Na rua

→ Procure um local coberto e seguro. Não fique em lugares que ofereçam pouca ou nenhuma proteção contra raios, como tendas, barracos, veículos sem capota, campos de futebol etc;
→ Se estiver em piscinas ou lagos, saia da água imediatamente e procure abrigo;
→ Evite a entrada em lugares alagados;
→ Nunca se abrigue debaixo de árvores;
→ Não se aproxime de cercas de arame, varais metálicos, linhas elétricas aéreas e trilhos. E não segure em objetos metálicos longos, como varas de pesca e tripés.

As informações são da Agência Brasília

Por Jornal de Brasília

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil / Reprodução Jornal de Brasília