Alunos e professores vencedores do 12º Circuito de Ciências são premiados

Foram escolhidos os três melhores projetos científicos de sete categorias feitos por 90 escolas públicas do Distrito Federal

0
770

Cerca de 90 escolas públicas do Distrito Federal receberam prêmios por sua participação no 12º Circuito de Ciências, que aconteceu ao longo do ano nas unidades escolares da rede. Os três melhores projetos científicos de sete categorias foram premiados. A solenidade ocorreu nesta sexta-feira (17), no Sesi Lab, que pôde ser visitado pelos estudantes.

O objetivo do Circuito de Ciências, organizado pela Subsecretaria de Educação Básica, em parceria com as Coordenações Regionais de Ensino (CREs), é difundir a cultura científica nas unidades escolares e de estimular atividades que envolvam o letramento científico e o processo investigativo entre professores, gestores e estudantes.

Para Raquel Lins, gerente de Programas e Projetos Transversais, o “Circuito de Ciências consolidou-se como um importante instrumento para a exposição de divulgação da produção cientifica, tecnológica e cultural desenvolvidas nas unidades escolares da rede pública de ensino, constituindo-se como atividade pedagógica de grande potencial motivador da aprendizagem e da compreensão da prática cientifica no ambiente escolar”.

Uma das escolas premiadas, a Escola Classe 401 do Recanto das Emas, levou o 3º lugar na categoria de Iniciação à Pesquisa, com o projeto “Ecocidade: construindo juntos um Recanto das Emas sustentável”, tendo como diferencial ser um grupo de pesquisa formado apenas por meninas.

A professora e orientadora do projeto, Laila Rodrigues, destaca que a importância do projeto foi proporcionar um aprendizado contextualizado, saindo da sala de aula, buscando soluções para os problemas do dia-a-dia. “Elas pensaram nos problemas e conseguiram unir possibilidades, isso é fazer ciência. Conseguimos mostrar que a ciência é algo que está em nosso cotidiano e é possível fazer. Elas saem daqui felizes e se sentindo motivadas a buscar mais conhecimentos”.

Uma das integrantes do projeto, Lavínia Couto Neves, 9 anos, é aluna do 4º ano do Ensino Fundamental. Ela conta o projeto foi pensado a partir da reflexão de que a comunidade no Recanto das Emas não encontra lugares arborizados na cidade e acham muito lixo nas ruas. A ideia pensada pela equipe foi recolher o lixo e plantar mudas de árvores para começar a arborizar o ambiente.

“Ciência para mim é diversão e vida. Sem a ciência não estaríamos aqui hoje. Eu observava que o Recanto das Emas tinha pouco verde, e eu fiquei pensando qual vai ser o futuro se a gente não fizer nada. Então, o nosso projeto é algo que ajuda todos que estão aqui e as futuras gerações”, falou.

*Com informações Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF)

Por Agência Brasília

Foto: André Amendoeira/SEEDF / Reprodução Agência Brasília