Oficina gratuita oferece capacitação para produção cultural no DF

Em encontros online, inscritos recebem orientação para realização de eventos e acesso a leis e fundos de incentivos à cultura

0
669

De 11 a 15 de dezembro, a Associação Artística Mapati (AAMA) apresenta a oficina de produção cultural do projeto Profissão Arte. Os encontros de imersão online, sob o comando da produtora cultural Dayse Hansa, são realizados das 19h às 21h30. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas por pessoas com idade a partir de 18 anos pelo link.

A oficina, que possui dez vagas, é uma oportunidade para quem pretende se iniciar no ramo da produção cultural diante do crescente cenário da economia criativa, que tem sido impulsionado com as leis de incentivo cultural Paulo Gustavo e Aldir Blanc. “O momento é de retomada da cultura e aquecimento do setor e, portanto, de abertura para novos postos de trabalho em assistência e produção executiva”, explica a produtora e oficineira Dayse Hansa.

Na jornada proposta pela oficina, os encontros abordam conteúdos sobre o acesso a fundos e leis de incentivo, captação de recursos e insumos e sobre as fases de pré, produção e pós-produção. Outro aspecto abordado é a legalização de eventos, com itens como as emissões de alvarás. Os inscritos que concluírem, com o mínimo de 80% de presença, recebem certificado de participação.

Sobre o projeto

Com fomento do Ministério da Cultura, o projeto Profissão Arte é idealizado por Tereza Padilha, gestora cultural, atriz e diretora teatral, que há duas décadas atua com formação artística, técnica, de gestão e produção. O projeto já capacitou milhares de participantes.

Serviço
Oficina de produção cultural com Dayse Hansa – Projeto Profissão Arte
Encontros online, de 11 a 15 de dezembro, sempre das 19 às 21h30
Inscrições gratuitas pelo link https://bit.ly/OficinaProfissaoArte
10 vagas disponíveis
Classificação etária: 18 anos
Informações: (61) 3347-3920 (Telefone/WhatsApp)
Instagram: instagram.com/aamaosc

Por Jornal de Brasília

Foto: Jornal De Brasília / Reprodução Jornal de Brasília