Estudantes da EJA lançam livros com histórias inspiradoras

As obras são frutos de um projeto de leitura realizado pelo CED Irmã Regina

0
47

Um projeto de leitura do Centro Educacional Irmã Regina, em Brazlândia, tem mudado a vida de estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Por meio do incentivo à leitura e produção textual, alunos viraram escritores de livros. Como resultado de um projeto desenvolvido ao longo do ano letivo, os estudantes escreveram, ilustraram e lançaram um livro contando as próprias histórias, quase como um registro autobiográfico.

Desenvolvido pela professora Jelma Alves Mota Lima, de Língua Portuguesa, o objetivo da ação é incentivar a leitura e facilitar a produção de textos para os estudantes. “Eu sou apaixonada por produção textual. E percebi que uma das maiores dificuldades dos alunos, de modo geral, inclusive de universitários, é a produção de texto. Dessa forma, busquei estratégias para facilitar. Eu expliquei a eles que, aquilo que se fala, passa-se para o papel e depois nós vamos organizar”, conta.

Um dos escritores do CED Irmã Regina é Dameão Luiz de Macedo, 63 anos, que além de aluno da EJA, é artista. “Para mim, foi tranquilo escrever o livro, porque eu faço música. Então, eu escrevi sobre o Nordeste. Em especial, sobre Currais Novos, no Rio Grande do Norte. São minhas vivências de lá até aqui (Brasília). Tem muita tristeza, angústia, mas termina com um final feliz”, relembra.

Semana passada, Dameão concluiu mais uma etapa de sucesso: a formatura dele do segundo segmento da EJA (etapa final do ensino fundamental).

Outra história inspiradora é da aluna Eliene Alves Souza Araújo. Em seu livro História da minha vida, ela narra os principais acontecimentos de sua vida, desde o começo, no interior da Bahia, até a sua volta à sala de aula, em Brasília. O livro também destaca o esforço contínuo para terminar os estudos.

“Escrever um livro é algo que nunca tinha passado pela minha cabeça. Quando a professora nos falou do projeto, eu pensei que não conseguiria escrever sobre nada. De repente, eu não conseguia parar de escrever. E se tivesse mais tempo, eu teria feito mais”, celebra.

Sem dúvida, os projetos de leitura desempenham um papel fundamental no contexto da EJA, sendo uma ferramenta valiosa para promover o desenvolvimento educacional e cultural desses estudantes, colaborando para o crescimento pessoal dos alunos.

Inscrições

As inscrições na Educação de Jovens e Adultos podem ser feitas no site da Secretaria de Educação do Distrito Federal em link que será divulgado quando abrir o período de matrículas ou pela Central de Telematrícula 156. Todavia, caso o interessado perca o prazo de inscrição para novas matrículas, pode procurar diretamente a escola mais próxima da residência ou do local de trabalho, em qualquer época do ano, para realizar a matrícula.

As 14 coordenações regionais de ensino (CREs) do DF oferecem todos os segmentos da EJA. Para fazer a matrícula é preciso levar os seguintes documentos:

► Carteira de identidade
► CPF
► Comprovante de endereço
► Histórico escolar (se possuir)

EJA no Distrito Federal

A Educação de Jovens e Adultos no Distrito Federal é uma modalidade de ensino voltada para pessoas que não tiveram a oportunidade de concluir os estudos na idade regular ou que desejam retomar os estudos em uma fase mais avançada da vida.

No Distrito Federal, a Secretaria de Estado de Educação é responsável pela organização e coordenação da EJA. Ela estabelece as diretrizes curriculares, realiza a matrícula dos estudantes e acompanha o desenvolvimento das turmas. Além disso, a SEEDF oferece apoio pedagógico aos professores e investe em programas e projetos que visam melhorar a qualidade da educação oferecida na EJA.

*Com informações da SEEDF

Por Agência Brasília

Foto: Arquivo pessoal/Divulgação / Reprodução Agência Brasília