Reajuste valoriza atuação de mais de 8,5 mil servidores da Educação

Voltada a quem trabalha na Política Pública e Gestão Educacional (antiga carreira de Assistência, da qual também serão beneficiados mais de 13,1 mil aposentados), medida abrange profissionais que cuidam de matrículas, folha de pagamento, merenda e apoio psicológico

0
27

Essenciais para o funcionamento da rede pública de ensino, os servidores da ,carreira de Política Pública e Gestão Educacional (PPGE), antiga Assistência à Educação, foram beneficiados com um reajuste importante nos vencimentos. O Governo do Distrito Federal (GDF) atendeu, em 2023, pleito dos profissionais e aumentou em 30% a Gratificação de Incentivo à Carreira (GIC), que passou de 40% para 70%, sendo paga gradativamente a cada semestre a partir de abril deste ano.

A medida beneficia 21,6 mil profissionais, sendo 8,5 mil ativos e 13,1 mil aposentados. O trabalho dessa carreira é considerado crucial dentro da Secretaria de Educação (SEE-DF), uma vez que eles lidam com a preparação da folha de pagamento, uma das maiores do GDF; com planejamento de merenda e transporte; cuidam da documentação dos quase 500 mil estudantes e servidores; além do importante apoio educacional prestado por monitores e psicólogos aos estudantes com algum tipo de necessidade especial.

Os monitores, por exemplo, são responsáveis por cuidar de 28 mil alunos com algum tipo de deficiência. Já os secretários atuam com dados e matrículas dos estudantes, enquanto os técnicos são alocados em áreas administrativas nas regionais de ensino. O DF dispõe de quase 700 escolas, distribuídas nas 14 coordenações regionais de ensino, onde os PPGEs também estão alocados.

“De fato, a educação não se faz apenas com professores. Todos nós somos educadores. As formas de valorização dos servidores passam pelo reconhecimento financeiro e pela atualização de atribuições e nomenclaturas, considerando o avanço tecnológico e o amadurecimento da carreira”, pontua a subsecretária de Gestão de Pessoas da SEE-DF, Ana Paula Aguiar, ao comemorar a sanção da lei que alterou a gratificação.

A categoria nasceu em 1989 e é composta por monitores de gestão educacional, secretários escolares e gestores de habilitações como psicologia, nutrição, biblioteconomia e administração.

Outra medida da atual gestão foi ter feito a maior nomeação da história para a carreira. Em março de 2023, quase 3 mil servidores passaram a integrar o quadro da secretaria. Na ocasião foram nomeados 1.861 monitores de gestão educacional, 600 secretários escolares, 400 de apoio administrativo, dois de arquivologia, dois de comunicação social e dois de direito e legislação. “Foi a maior nomeação num único ano, demonstrando a importância crescente desses servidores”, acrescenta Ana Paula Aguiar. Depois dessa nomeação, a categoria ganhou mais 500 monitores, 100 servidores da carreira de apoio e mais 100 secretários.

Por Ian Ferraz da Agência Brasília

Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília