Fuga de prisões: quantos presos fugiram de presídios no DF recentemente?

Fuga inédita de presídio em Mossoró (RN) acendeu holofote sobre o sistema de segurança dos presídios em todo país, principalmente em locais que também tem penitenciárias de segurança máxima, como Brasília

0
480

Na última semana, a primeira fuga registrada no Sistema Penitenciário Federal desde a criação da modalidade, em 2006, tornou-se uma preocupação nacional, para a Justiça e Segurança Pública. No total, há cinco penitenciárias de segurança máxima no país, contando com a Penitenciária Federal de Mossoró (RN), onde foi registrada a fuga de dois criminosos, além de Brasília (DF), Catanduvas (PR), Campo Grande (MS) e Porto Velho (RO). 

No Distrito Federal, segundo a Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal (Seape/DF), nos presídios que não são de segurança máxima, cinco detentos fugiram em 2023 mediante rompimento de obstáculo — quando os presidiários conseguem ultrapassar as barreiras físicas de segurança no local. Todos os foragidos foram recapturados pela polícia. Em 2022 e 2021, foram registradas três e duas fugas, respectivamente. Ainda não há ocorrências em 2024.

A modalidade mais recorrente, no entanto, não está atrelada a planos de fuga para escapar do interior das prisões, como aconteceu em Mossoró. De acordo com a secretaria, a maioria das fugas acontece quando o condenado não retorna do trabalho externo, ou de saída temporária ou ainda devido a abuso de confiança. Atualmente, há 51 foragidos que escaparam do sistema carcerário da capital desta forma. 

Mossoró

A ocorrência na Penitenciária Federal de Mossoró aconteceu na última quarta-feira (14/2). Os dois foragidos, identificados como Rogério da Silva Mendonça e Deibson Cabral Nascimento, são ligados à facção criminosa Comando Vermelho e estavam detidos desde setembro de 2023.

A operação para a recaptura dos criminosos, que começou na quarta-feira, conta com 300 agentes de segurança, além do uso de drones e helicópteros. Na noite de sexta-feira (16/2), a dupla foi denunciada por fazer um casal de refém durante 4h em uma casa a cerca de 3km da penitenciária.

Segundo as vítimas, Rogério e Deibson invadiram o imóvel por volta das 20h, jantaram, pediram para acessar as redes sociais e foram embora levando ovos, água e laranjas. Um dos moradores, um homem de 50 anos, afirmou que os dois se identificaram como foragidos da penitenciária.

Por Gabriella Braz do Correio Braziliense

Foto: Reprodução/Secretaria Nacional de Políticas Penais / Reprodução Correio Braziliense