Ações do GDF promovem protagonismo da mulher do campo

Mais de 5 mil proprietários ou coproprietários de terras no Distrito Federal cadastrados na Emater são do sexo feminino

0
102

O empoderamento econômico das mulheres rurais como agricultoras, empresárias e líderes comunitárias contribui para reduzir a pobreza, aumentar a segurança alimentar e alcançar a igualdade de gênero. No Distrito Federal, das mais de 16 mil propriedades cadastradas na Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), 5.379 são de mulheres proprietárias ou coproprietárias.

“Uma de nossas missões é dar condições para o protagonismo feminino, assegurar a inclusão dos talentos, habilidades, experiências e energia das mulheres requer ações afirmativas e políticas públicas”Selma Tavares, extensionista da Emater

Neste Dia Internacional da Mulher, a representatividade feminina no campo e os desafios enfrentados por elas são temas a serem reforçados e discutidos. Responsável pela coordenação de atividades voltadas às mulheres, a extensionista da Emater Selma Tavares defende que é preciso reconhecer a importância da mulher na comunidade em que se encontra inserida, bem como o seu papel essencial na atividade agrícola, no sustento familiar ou na gestão dos recursos naturais.

“Uma de nossas missões é dar condições para o protagonismo feminino, assegurar a inclusão dos talentos, habilidades, experiências e energia das mulheres requer ações afirmativas e políticas públicas”, afirma a gestora. Pensando nisso, a Emater criou o Projeto de Valorização da Mulher Rural, que inclui ações nas áreas social, produtiva e de inclusão em políticas públicas distritais e federais.

Mulheres no campo

Para a agricultora e presidente da Associação de Produtores Agroecológicos do Alto São Bartolomeu (Aprospera), Fátima Cabral, as conquistas da mulher do campo vêm a partir de conhecimentos vindos de muitos meios de comunicação, atividades compartilhadas e troca de experiências.

“Esses momentos, muitas vezes organizados pela Emater, trazem uma ampliação de consciência sobre nossas vidas, das vivências no campo e sobre o que ainda se pode conquistar”, aponta ela. “A Emater é grande parceira, não só para o fortalecimento individual e coletivo das associações, mas também com a oferta de capacitações, encontros, seminários que resgatam a autoconfiança e aprimoram o trabalho da mulher no campo. Hoje temos mulheres na direção da associação, com participação muito forte nas decisões administrativas e financeiras”.

Nesta data, a Emater destaca os principais serviços e políticas públicas especialmente destinadas às mulheres, proporcionando acesso a tecnologias de produção, mercado, capacitações em liderança e gestão e benefícios sociais. Entre 2019 e 2022, 8,6 mil mulheres foram atendidas pela empresa em atividades nos eixos social, econômico e ambiental.

Dos 17 objetivos da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), a Emater desenvolve ações em 16 eixos. Dentre os vários temas, as mulheres são consideradas peças-chave para o alcance dos objetivos.

Confira, abaixo, algumas ações da Emater voltadas às mulheres rurais.

→ Assistência técnica e acompanhamento em atividades agropecuárias, desde o planejamento à comercialização, nas áreas de bovinocultura, floricultura, avicultura, olericultura, agricultura orgânica e agroecologia
→ Elaboração de projetos de crédito rural em atividades agropecuárias
→ Qualificação, capacitação e inclusão em atividades voltadas ao desenvolvimento humano-social, como qualidade do alimento, alimentação adequada, cidadania e benefícios sociais, saúde, saneamento e habitação
→ Capacitação, qualificação e acompanhamento nas atividades não agrícolas, como artesanato, turismo rural e agroindústria
→ Inclusão em políticas públicas, como o CadÚnico, Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais e programas de compras institucionais
→ Estímulo e apoio à organização social, grupos, associações e cooperativas
→ Promoção de eventos voltados à saúde, bem-estar, lazer e troca de experiências
→ Viabilização da participação de mulheres em espaços de comercialização, feiras, eventos e comunidades que sustentam a agricultura (CSAs).

*Com informações da Emater

Por Agência Brasília

Foto: Reprodução Agita Brasília