GDF investiu R$ 1 bilhão em abastecimento e qualidade da água em 4 anos

Até 2025, a Caesb pretende destinar mais R$ 2,8 bilhões a ações de modernização e ampliação da capacidade do sistema

0
133

Nesta quarta-feira (22/03) é comemorado o Dia Mundial da Água. O Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do DF (Adasa) e da Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb), vem realizando uma série de eventos em comemoração à data. Em meio a palestras e simpósios que reúnem estudantes, a comunidade científica e a população em geral em torno da discussão sobre a preservação e o uso consciente dos recursos hídricos do DF, a Adasa lançará, nesta quarta, o selo Guardião da Água, que reconhece instituições de ensino do DF que se destacarem na preservação dos recursos hídricos.

“Hoje a população do DF pode ficar tranquila com a água que chega à torneira dela. A Caesb cumpre todos os parâmetros, com análises de hora em hora e toda uma rede de monitoramento para garantir a qualidade da água. Cumprimos acima de todos os índices necessários e da legislação do setor, para garantir a qualidade da água”Diogo Gebrim, superintendente de Produção de Água da Caesb

Mas, muito além da programação comemorativa, o respeito e o cuidado do GDF com os recursos hídricos passam pelos investimentos. De 2019 até agora, o montante empregado pela Caesb na área foi de R$ 1,047 bilhão – valor corrigido pelo IGP-DI. O montante contempla obras de expansão e melhorias dos sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário, bem como programas de eficiência energética, modernização da infraestrutura, tecnologia da informação e programas empresariais, entre outros.

Os indicadores mostram que a Caesb fornece água para 99% da população do DF, coleta 92% de todo o esgoto gerado e trata 100% dele. Inclusive, a companhia já alcançou, no DF, a meta estabelecida pela Lei nº 14.026/2020, determinando que, até o fim de 2033, 99% da população brasileira tenha acesso à água potável e 90% tenham o esgoto coletado e tratado.

“Hoje a população do DF pode ficar tranquila com a água que chega à torneira dela. A Caesb cumpre todos os parâmetros, com análises de hora em hora e toda uma rede de monitoramento para garantir a qualidade da água. Cumprimos acima de todos os índices necessários e da legislação do setor, para garantir a qualidade da água”, pontua o superintendente de Produção de Água da Caesb, Diogo Gebrim.

“Mais de 98% de toda a rede hidrográfica do DF estão enquadrados nas classes 2, 1 ou especial, que são os melhores índices de qualidade hoje”Gustavo Carneiro, superintendente de Recursos Hídricos da Adasa

O superintendente de Recursos Hídricos da Adasa, Gustavo Carneiro, ratifica a qualidade da água do DF: “Mais de 98% de toda a rede hidrográfica do DF estão enquadrados nas classes 2, 1 ou especial, que são os melhores índices de qualidade hoje”.

Essa mesma peculiaridade ocorre na preservação e conservação dos mananciais e no monitoramento das nascentes. A Adasa trabalha com índices e parâmetros inovadores que mapeiam e enquadram os rios e realizam pontos de controle da qualidade da água.

Outro ponto levantado por Carneiro é que os reservatórios da capital estão operando em um patamar confortável, acima do valor de referência. “O valor de referência para os reservatórios de Santa Maria e do Descoberto é 75%, e os dois estão operando em 81,1%, acima do valor de referência, ou seja, a situação hoje está confortável. O Paranoá também atingiu sua cota e está com 1.050 metros”, diz o superintendente.

Em consonância com o Plano Distrital de Saneamento Básico do DF, a Caesb pretende investir R$ 2,8 bilhões até 2027, com fontes de recursos próprios, onerosos e não onerosos, em mais expansão e melhorias dos sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário, em modernização da infraestrutura, em energias renováveis e tecnologia da informação.

Um dos investimentos da companhia é na ampliação da capacidade de abastecimento de água de Corumbá IV. Inaugurado há pouco mais de um ano, o novo sistema ampliou o abastecimento de água tratada da região sul do DF, que inclui as cidades de Santa Maria, Gama, parte do Recanto das Emas e Riacho Fundo II e Park Way.

O objetivo agora é que o sistema chegue a outras regiões do DF. “Já está em fase inicial de obra a ampliação de Corumbá IV, e pretendemos que o abastecimento chegue às regiões do Jardim Botânico, Mangueiral, São Sebastião e uma parte do Lago Sul, ampliando e fortalecendo o atendimento à população”, afirma Diogo Gebrim.

Por Agência Brasília

Foto: Renato Alves/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília