Com Noroeste e Água Quente, DF tem 40 conselhos comunitários de segurança

Governo também estuda novos Consegs para monitorar a área central de Brasília e combater a violência nas escolas

0
118

Elo entre a comunidade e as forças de segurança pública, os conselhos comunitários de segurança (Consegs) receberam o apoio do governador Ibaneis Rocha nesta quinta-feira (18/05). O chefe do Executivo local destacou a importância do trabalho comunitário na construção e solução das demandas da sociedade ao assinar a criação de conselhos no Noroeste e em Água Quente.

“Sou filho da sociedade civil, onde atuei à frente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). É a sociedade civil organizada que traz as melhores informações para a melhor tomada de decisões”, avalia o governador.

Ainda segundo Ibaneis Rocha, as demandas levadas pela população são essenciais para nortear o trabalho das forças de segurança pública. “As ações de governo devem ser baseadas nas forças de segurança e também captadas por quem vive com a sociedade, tem contato com os comerciantes, convive com a população nas ruas e é daí que vem a importância da valorização dos Consegs”, acrescenta.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a integração com a comunidade tem efeito direto na redução dos crimes nos últimos anos. Dados recentes apontam que o DF atingiu a menor taxa de homicídio dos últimos 45 anos e também diminuiu os crimes contra o patrimônio em 49%. Parte desse trabalho é efeito da atuação dos Consegs como uma espécie de farol nas cidades. “Essa aproximação com a comunidade e diversas áreas de Estado é fundamental para transmitir sensação de segurança para a população. Os representantes dos Consegs sabem onde devemos fazer um esforço prioritário e os resultados acabam aparecendo”, avalia o secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar.

“Os moradores são muito necessitados na segurança e na saúde. Então, vamos precisar muito desse apoio do governo, tenho certeza que vai fazer muita diferença”Sandra Maria, presidente do Conseg de Água Quente

Além da criação dos conselhos de Água Quente e Noroeste, a SSP estuda ter unidades temáticas, como uma para cuidar da área central de Brasília e outra para monitorar e combater a violência no ambiente escolar.

Presidente do Conseg de Água Quente, Sandra Maria elogiou o apoio dado à recém-criada região administrativa. “É importante, porque o Conseg preza pela segurança dos moradores. Eles são muito necessitados na segurança e na saúde. Então, vamos precisar muito desse apoio do governo, tenho certeza que vai fazer muita diferença”, aponta.

Para o Noroeste, a representante Leila Ornelas acredita ser um passo de empoderamento para a região, atualmente atrelada ao Plano Piloto. “Temos esse anseio de cuidar de forma mais específica do bairro e a criação do Conseg é um avanço para cuidarmos das mais de 20 mil pessoas que moram lá”, acredita.

“Temos esse anseio de cuidar de forma mais específica do bairro e a criação do Conseg é um avanço para cuidarmos das mais de 20 mil pessoas que moram lá”Leila Ornelas, presidente do Conseg do Noroeste

Os Consegs são responsáveis por acolher reclamações, denúncias, sugestões e informações para, em seguida, encaminhá-las à SSP, responsável por intermediar esse elo entre a sociedade e o governo. Assuntos de desordem pública, qualidade de vida e criminalidade costumam ser debatidos nas reuniões ao longo do ano.

Eles têm caráter consultivo, sem fins lucrativos e de cooperação voluntária, e atuam como espaços para discussão e análise de problemas que impactam a área de segurança pública. Também auxiliam os órgãos de segurança no monitoramento, na avaliação e na gestão dos resultados alcançados.

Por Agência Brasília

Foto: Renato Alves/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília