Projeto Estação Brasil promove educação ambiental nos parques urbanos do DF

Com quatro unidades de conservação na rota, o programa gratuito conta com oficinas, teatro e biblioteca itinerante

0
175

Neste mês de junho, os parques de Águas Claras, Três Meninas, Saburo Onoyama e Jequitibás receberão o projeto Estação Brasil, que levará ao público espetáculos musicais, apresentações teatrais, oficinas de bonecos com materiais reciclados e biblioteca itinerante.

Os eventos são em parceria com o Instituto Brasília Ambiental e contam com um investimento de R$ 80 mil do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal. A programação, gratuita, ocorrerá das 13h às 17h dos dias 17, 18, 24 e 25 de junho, para todos os públicos.

“A ideia é que a gente possa alcançar o maior número de pessoas possível. Quem cuida dos parques é quem os utiliza, então queremos trazer essa sensação de pertencimento e conscientização, despertando o amor e respeito ao meio ambiente”, afirmou o diretor do Brasília Ambiental, Rôney Nemer.

Com quase uma centena de unidades de conservação em seu território, o Distrito Federal é privilegiado por abrigar áreas urbanas, rurais e periurbanas com uma rica diversidade de vegetação nativa, espécies ameaçadas de extinção e uma fauna típica do Cerrado.

Quatro ações

Os eventos incluem quatro ações específicas. A primeira é uma oficina de materiais recicláveis, onde o público poderá, além de aprender a fazer o descarte correto e como funciona o processo de reciclagem, transformar os materiais em bonecos e levá-los para casa. A segunda ação é um espetáculo de contação de histórias. Ambientando os ouvintes como se estivessem em uma estação de trem, os artistas farão narrativas envolvendo o bioma brasileiro e questões regionais relacionadas ao meio ambiente.

Na terceira ação, entra o teatro de bonecos, no qual contadores de piadas e outros artistas encenam histórias educativas como a do pescador e a serpente – uma interação que destaca a importância da convivência entre espécies. E, por fim, a quarta ação é uma mediação. Será um momento de interação direta com o público sobre questões ambientais.

O coordenador do projeto, Domingos Rodrigo, mais conhecido como Dom Rodrigo, explicou que as apresentações serão de forma lúdica para despertar o imaginário das crianças e do público em geral. “Acredito que a gente está em um momento propício para esse tipo de projeto, que relaciona futuro e meio ambiente. É um convite para as pessoas vivenciarem essas experiências no meio natural, além de divulgar, de forma geral, a existência desses parques, dos quais muitas pessoas que moram do lado não usufruem”, observou o coordenador.

Sustentabilidade e acessibilidade

O grupo responsável pela realização do projeto, Cia. Cidade dos Bonecos, utiliza uma usina solar sobre rodas – um sistema voltaico de energia solar que abastece todo o equipamento de som das apresentações.

Os eventos também contam com ferramentas de acessibilidade. Além de intérprete de Libras e impressões em braille, há um QR Code nos materiais que dá acesso a um vídeo de instruções, com legendas e audiodescrição.

Cronograma

17/6: Parque Ecológico Águas Claras
18/6: Parque Ecológico dos Jequitibás, Sobradinho
24/6: Parque Ecológico Saburo Onoyama, Taguatinga Sul
25/6: Parque Ecológico Três Meninas, Samambaia Norte

Programação 

13h: Oficina de Construção de Bonecos
14h: Atividade de Educação Ambiental (Projeto Eu Amo Cerrado)
15h: Espetáculo Contos, Histórias e Canções (Teatro de Bonecos)
15h40: Mediação (Interação com o público)
16h: Espetáculo Estação Brasil (Contadores de histórias)
17h: Encerramento das atividades.

Por Agência Brasília

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília