Combate à dengue é reforçado nas dependências do Palácio do Buriti

Secretaria de Economia determinou a intensificação de medidas contra a doença na última semana. Além de vistorias e aplicação de veneno, cartazes reforçam alerta aos servidores

0
1231

Com o aumento de casos de dengue no Distrito Federal, a Secretaria de Economia (Seec), por meio da administração predial do anexo do Palácio do Buriti, reforçou as medidas de combate à doença nas dependências do prédio. Apenas na última semana, foi solicitada a realização de aplicação do fumacê na edificação e, em especial, no subsolo, uma vez que o mosquito transmissor da dengue, Aedes aegypti, se reproduz em ambientes úmidos.

Houve, ainda, uma visita da vigilância sanitária para realizar vistoria e fazer aplicação de produtos em todas as caixas de passagem de águas pluviais para exterminar possíveis larvas no local. Também foram recolhidas amostras para análise. Nas dependências do prédio, foram colocados cartazes da campanha de combate ao mosquito, elaborada pela Secretaria de Comunicação.

“É uma ação preventiva, mas também de alerta para que os servidores reforcem as ações do governo de combate à proliferação da doença”, afirma o secretário de Economia, Ney Ferraz. “A administração predial faz a parte dela, de cuidar do servidor e a gente espera que o servidor replique em outros locais. Todo o cidadão precisa ficar em alerta para combater a dengue”, acrescenta o gestor.

O diretor de administração predial, Stephan Sócrates da Silva, diz que o trabalho de combate ao Aedes aegypti é rotineiro. “Diariamente as equipes da vigilância, brigada e conservação e limpeza buscam identificar os possíveis focos de criadouros de larvas para nos auxiliar no combate à doença”, informa.

Em 24 de janeiro, o Governo do Distrito Federal (GDF) decretou situação de emergência na saúde para enfrentar a dengue. No documento publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) é autorizado ao governo tomar as medidas administrativas necessárias para conter a doença, em especial a aquisição de insumos e materiais e a contratação de serviços. O decreto se estenderá até o enfrentamento à dengue ser estabilizado.

*Com informações da Secretaria de Economia do Distrito Federal (Seec-DF)

Por Agência Brasília

Foto: Divulgação/Seec-DF / Reprodução Agência Brasília