Excelência no trato à saúde dos servidores do DF

Após a entrega do plano de saúde, o momento é de consolidar o GDF Saúde como um plano de excelência

0
229

O ano de 2022 foi um período de mudanças e muitas realizações para o Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Distrito Federal (Inas). “Expandimos nossa equipe, mudamos de casa, aprimoramos nossas operações e nos consolidamos como o plano de saúde dos servidores do Distrito Federal. 2023 está aí, vamos seguir focados na entrega de melhores produtos e serviços”, afirma o presidente do instituto, Bruno Alvim Moura. Confira a entrevista:

AGÊNCIA BRASÍLIA – Você pode citar os principais avanços alcançados pelo Inas/GDF Saúde nos últimos quatro anos?

BRUNO ALVIM MOURA – Nos últimos quatro anos, o GDF Saúde saiu do papel e tornou-se uma realidade. O governador Ibaneis Rocha constituiu a equipe responsável pelos estudos para a criação do plano de saúde dos servidores do Distrito Federal. Naquela época, a estrutura do Inas ainda era bem tímida, com uma equipe de apenas 14 pessoas, que ocupava uma sala no Palácio do Buriti. O nosso atual secretário de Planejamento, Orçamento e Administração, Ney Ferraz Júnior, foi chamado para conduzir os passos seguintes para a implementação do plano de saúde e, hoje, aqui estamos, completando dois anos de lançamento. Atualmente, são em torno de 80 mil vidas beneficiadas com o melhor atendimento disponível, com 41 dos principais hospitais de Brasília e região, além de mais de 2.400 clínicas, laboratórios, cooperativas e associações médicas. Sem dúvida, um grande avanço na saúde de Brasília.

AB – Como o senhor avalia o desempenho do GDF Saúde desde seu lançamento e do Inas nesta nova composição?

BAM – O GDF Saúde é responsável por mais de seis mil cirurgias realizadas e quase dez mil internações hospitalares, com 360 mil consultas feitas, entre 2020 e 2022. O plano de saúde realizou 2,3
milhões de exames laboratoriais e 23 mil exames RT-PCR (covid-19) até novembro de 2022. O desempenho do Inas em quatro anos é digno de registro e grande satisfação. Em junho de 2022, com apoio do GDF, a Câmara Legislativa aprovou a Lei nº 7.152, alterando o dispositivo que criou o instituto, permitindo assim uma nova reestruturação. Desta forma, aumentou a equipe para mais de 120 profissionais e ampliou as instalações, com um novo espaço de mais de 400 m².

AB – Quais foram os principais desafios enfrentados pelo Inas neste período?

BAM – O primeiro grande desafio foi trazer credibilidade ao projeto do plano de saúde dos servidores. O plano permaneceu no papel durante vários governos, por 13 anos, desde a criação do instituto (2006). Esta etapa foi vencida com o empenho da equipe inicial em demonstrar, por meio de ações concretas, que se tratava de uma realidade e não de uma promessa. Depois, o Inas promoveu uma pesquisa, em 2020, que seria importante para a versão final do plano apresentada ao público. Em julho do mesmo ano, foi assinado um acordo de cooperação técnica entre o Inas, a Secretaria de Economia e o Banco de Brasília (BRB) para o fornecimento ao instituto do sistema operacional de informática e a central de atendimento, permitindo, assim, o início das operações.

Em 2022, foi divulgado o resultado de mais uma pesquisa iniciada no ano anterior, que mostrava altos índices de satisfação. Os desafios foram e continuam sendo diários para a equipe do Inas. Lançamos o aplicativo móvel GDF Saúde e o atendimento virtual em nosso site, que trouxeram mais praticidade e facilitaram ainda mais a vida dos beneficiários, com acesso fácil ao extrato, rede credenciada e demais informações essenciais. E houve, ainda, a mudança da estrutura de atendimento presencial para as novas instalações no Edifício Parque Cidade Corporate, no centro de Brasília.

AB – E quais serão os próximos passos a partir de 2023? 

BAM – A rede credenciada, bem como produtos e serviços, estão sempre entre nossas prioridades de melhoria. Estamos sempre buscando a excelência nessas frentes. Trabalharemos para a criação do plano de carreira, cargos e remuneração do quadro de pessoal. Com isso será possível também a realização de um concurso público para o instituto, aperfeiçoando ainda mais a equipe.

*Colaboração: Assessoria de Comunicação do Inas

Por Agência Brasília

Foto: Divulgação/Inas / Reprodução Agência Brasília