Projeto de valorização dos festivais é lançado com o apoio do GDF

'Brasília é de Festivais' envolve a divulgação de um calendário e de um portal para promover a capital que, por ano, realiza mais de 60 eventos e atrai um público de 2,3 milhões espectadores

0
141

A diversidade cultural, o longo período de seca e a localização estratégica são algumas das características que fazem Brasília ser a capital dos festivais. De olho nesse segmento que movimenta 2,3 milhões de pessoas por ano, foi lançado o programa Brasília é de Festivais. Ação é uma iniciativa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-DF) em parceria com o Governo do Distrito Federal (GDF), por meio das secretarias de Turismo e Cultura e Economia Criativa.

A estreia do projeto ocorreu em um evento na noite desta terça-feira (18) na área externa do Espaço Oscar Niemeyer, na Praça dos Três Poderes. Durante a solenidade foi apresentada a proposta: a divulgação de um calendário e de um portal com o objetivo de publicizar para estados, municípios e outros países o setor de festivais do DF.

“Brasília é de Festivais é um movimento junto com todas as empresas que fazem os festivais de Brasília. O Sebrae entra fazendo uma organização para facilitar que as pessoas entendam o conteúdo e movimentem a cidade, que já traz turistas do Brasil todo e de fora. Queremos dar conhecimento ao público do que Brasília tem”, explicou a superintendente do Sebrae-DF, Rose Rainha.

O alinhamento busca também auxiliar os organizadores dos eventos em relação aos recursos com o governo federal e com o GDF para a continuidade das realizações. O projeto já mapeou mais de 60 festivais em 28 regiões administrativas do DF, entre eles o Na Praia e Capital Moto Week. “Os festivais trazem muito valor e muita entrega para a nossa cidade e nosso país”, defendeu.

Essa também é a percepção do secretário de Turismo, Cristiano Araújo. “Brasília é a capital dos festivais. Acreditamos muito no setor de eventos como fomento e indutor do turismo, não só nacional, como local. Sugere emprego e movimenta a economia”, destacou. Segundo dados divulgados pelo Sebrae-DF, 92,5% dos festivais ocorrem em espaços públicos da cidade, o que incentiva o turismo.

À frente da secretaria de Cultura e Economia Criativa, o secretário Claudio Abrantes, reforçou que os festivais são uma vocação natural da cidade. “É muito bom a gente ver que tem um produto que não há em nenhum outro lugar do mundo. Não acredito que nenhuma cidade ofereça a mesma coisa a seus turistas”, afirmou.

Longevidade aos eventos

Para o titular da pasta, o projeto vem para dar mais valor e longevidade aos festivais. “Não tenho dúvida que esse projeto será um sucesso e uma marca do nosso governo. Vamos sistematizar e deixar que os empreendedores possam caminhar com as próprias pernas. Brasília vai ganhar o mundo”, opinou. Abrantes lembrou que muitos dos eventos ocorrem com auxílio do GDF, com recursos do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), Lei Paulo Gustavo e Lei de Incentivo à Cultura (LIC).

A diretora geral do festival CoMA, Michelle Cano, se mostrou bastante animada com o projeto. “É um momento muito propício porque essa demanda de festivais sempre existiu e ter o Sebrae apoiando o que já existe é fantástico”, definiu.

Ela defendeu ainda que a iniciativa vai incentivar os organizadores a estruturarem melhor os eventos. “Vai nos ajudar e trazer uma experiência melhor para o público. É o começo de uma troca muito rica”, comentou. A edição deste ano do evento será de 4 a 8 de outubro, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB).

Por Agência Brasília

Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília