Salas de apoio à amamentação são inauguradas na área central de Brasília

Em parceria com a Secretaria de Saúde, Sesi-DF, Senai-DF e IEL-DF ofertam espaço no Edifício Central Park, na Asa Norte

0
92

Para fortalecer o suporte a mulheres que trabalham e amamentam, salas de apoio foram inauguradas na área central de Brasília. O espaço – localizado no Sesi Saúde, na Asa Norte (SCN, Quadra 1, Bl. E – Ed. Central Park) – é uma parceria entre a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), a Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra), o Serviço Social da Indústria do DF (Sesi-DF), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do DF (Senai-DF) e o Instituto Euvaldo Lodi do DF (IEL-DF).

As salas são equipadas com poltronas e banquetas para descanso dos pés, freezer e pia para higienização. Além disso, são disponibilizados kits com pote de vidro, touca e máscara. O funcionamento é das 8h às 19h30, de segunda a sexta-feira.

O projeto das salas teve apoio e orientação da Secretaria de Saúde por meio da equipe do Banco de Leite Humano. Outras duas salas serão inauguradas, uma no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) e a terceira em Taguatinga Norte.

Agosto Dourado

A inauguração ocorreu nesta segunda-feira (21) dentro da programação do Agosto Dourado, mês de incentivo ao aleitamento materno. Até sexta (25), o Sesi Saúde sedia o VIII Seminário de Aleitamento Materno e o III Seminário de Alimentação Complementar Saudável do Distrito Federal.

Como parte da programação, os participantes podem apoiar na doação de potes de vidro com tampa de plástico. Os itens serão devidamente higienizados para aproveitamento nas salas de apoio à amamentação.

“O objetivo é apoiar não só as funcionárias do Sesi, do Senai e da Fibra. Essas salas apoiarão as trabalhadoras do prédio e região. Qualquer mãe pode usar. Chegando, ela será acolhida e vai poder utilizar a sala”, explica a coordenadora das Políticas de Aleitamento Materno do Distrito Federal, Miriam Santos. Ela destaca ainda que a iniciativa integra os esforços da Secretaria de Saúde de atuação com a sociedade civil para ampliar esses espaços.

Assessora de Responsabilidade Social da Fibra, do Sesi-DF, do Senai-DF e do IEL-DF, Cida Lima aponta que a parceria proporciona às trabalhadoras um espaço digno e acolhedor para que possam manter uma alimentação saudável para os filhos. “Nesse espaço, a mulher pode fazer a retirada do seu leite, que será preservado em temperatura correta e devidamente armazenado. Ao fim do expediente, ela retorna para casa e leva esse alimento.”

Doação

Para utilizar as salas, a mulher deverá apenas identificar-se com um documento com foto. Caso queira doar o leite, ela deverá se cadastrar no telefone 160, opção 4. As orientações para doação estão no site Amamenta Brasília.

“Ao adentrar a sala, ela será orientada a fazer a devida higienização das mãos e das mamas, além de receber o pote cedido, que será devidamente identificado. Caso ela não queira, por algum motivo, levá-lo, pode informar à equipe para que o Corpo de Bombeiros recolha o pote, que será encaminhado ao Banco de Leite”, pontua a médica Miriam Santos. O Corpo de Bombeiros, que possui parceria com a pasta, recolherá a doação.

Importância do aleitamento

Na abertura do VIII Seminário de Aleitamento Materno, a presidente da Sociedade de Pediatria de Brasília (SPDF), Renata Seixas, reforçou que o leite humano é o melhor alimento para a criança. Ele deve ser exclusivo até o sexto mês e mantido até dois anos ou mais, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

“O leite materno é uma matriz complexa formada de compostos bioativos nutricionais. São mais de duzentas estruturas identificadas no leite humano. Entre elas, estão proteínas, oligossacarídeos, prebióticos, probióticos”, exemplificou. “Tudo que a criança precisa para manter o seu desenvolvimento no sistema nervoso central e também o desenvolvimento da microbiota saudável.”

O aleitamento materno ainda interfere de forma fundamental no estabelecimento da imunidade saudável e previne doenças respiratórias agudas, doenças crônicas como diabetes e hipertensão, além de diarréias e infecções.

A chefe da Assessoria de Redes de Atenção da SES-DF, Andrielle Haddad, relatou que muitas mães não contam com o incentivo dos próprios parceiros para continuarem a amamentação. “Sabemos que a melhor forma é dar apoio a essa mulher, para ela ver que não está sozinha, que tem o apoio tanto da rede de saúde quanto no seu trabalho. É importante valorizar esse esforço, para que as mulheres se sintam fortes e empoderadas”, opina.

VIII Seminário de Aleitamento Materno

O VIII Seminário de Aleitamento Materno e o III Seminário de Alimentação Complementar Saudável do Distrito Federal ocorrem até 25 de agosto, das 8h às 18h no auditório do Sesi Saúde (SCN, Quadra 1, Bl. E – Ed. Central Park).

O evento tem debates e palestras de variados temas, como saúde mental materna, importância do leite materno, direitos da mulher trabalhadora, suporte emocional e rede de apoio na amamentação e o papel do pai na amamentação.

Por Redação do Jornal de Brasília

Foto: Reprodução Jornal de Brasília